Início

Seja bem-vindo!

Seja bem-vindo à nossa página.

A Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música é uma entidade sem fins lucrativos, que visa a divulgar e promover a cultura brasileira.

Congrega atualmente escritores, escultores, pintores e músicos ligados à cidade de Pirenópolis e desenvolve atividades voltadas para a preservação cultural de nossa terra.

Nosso site é experimental, ainda está em construção.

_____________________

E quando olho para o meu lado direito, vejo que estou diante da porta de entrada de uma casa simples. A porta está aberta e no sofá da sala uma senhora provavelmente septuagenária monta distraída uma fantasia de Carnaval. Nem se dá conta de que logo ali à sua frente, a poucos metros do tal sofá, motoristas e motociclistas se digladiam no trânsito maluco.

Para ler o texto, clique aqui.


O mar navega o Ser,
nas tempestades
da palavra incendiada.

O poeta navega a esmo
no mar de dardos

de seus atos insensatos.

Para ler o poema na íntegra, clique aqui.


É bom conversar com crianças. Principalmente as crianças de pré-escola – a fase em que o pensamento já se reveste de lógica, uma espécie de gramática está bem estruturada nas pequeninas mentes e as palavras conhecidas ganham novas construções.

Para ler o texto completo, clique aqui


Conheça a biografia do jornalista  e historiador Irnaldo Jayme, patrono da Cadeira n° XXIII, da APLAM. Seu livro, Furacão Histórico, é referência bibliográfica.

Para ler a biografia, clique aqui.

Este texto trata de uma nova forma de ansiedade, ou angústia, que se manifesta por conta da instantaneidade da Internet. A intimidade virtual, esse hábito de confissões mútuas, de segredos trocados entre pessoas que permutam confianças e confidências, incrivelmente facilitadas sem a magia dos olhares cruzados. 

Para ler o texto, clique aqui.

Num poema duro, forte, de acentuada crítica social, o poeta e Acadêmico Brasigois nos fala da crise do presídio no Maranhão.

Leia o poema, clique aqui.


A rica biografia do padre Francisco Inácio da Luz, Patrono da Cadeira n° VI, nos conta que ele revolucionou a música goiana, ao trazer para Meia Ponte as novidades culturais cariocas.

Confira a biografia, clique aqui.

Em um emocionante relato, o Acadêmico Adriano Curado narra as sensações de uma visita que fez a uma paciente muito especial. Na ala pediátrica do câncer da santa casa, ele conhece alguém que mudaria sua vida.

Para emocionar-se, clique aqui.

O grande poeta e Acadêmico Brasigois Felício nos fala de um Brasil bem peculiar e idealizado por sua pena mágica.

Para ler o poema, clique aqui.


Em um passeio pela zona rural de Corumbá de Goiás, o Acadêmico Adriano Curado conheceu um alambique e compôs interessante texto.

Para ler o texto, clique aqui.


Em brilhante crônica, o Acadêmico Luiz de Aquino usa de passagens de O Pequeno Príncipe para comentar sobre a saúde pública no Brasil.

Para ler o texto, clique aqui.

Através das belas fotografias do Acadêmico Adriano Curado, viaje pela belíssima Pirenópolis ao cair da tarde.

Para ver as fotos, clique aqui.

A comparação do ofício de escritor com um garimpeiro é a mágica deste pequeno mas significativo texto do Acadêmico João Batista de Andrade.

Para ler o texto, clique aqui.


O Acadêmico Luiz de Aquino nos fala em sua crônica sobre a renovação que sempre se espera na virada de ano.

Leia a íntegra, clique aqui.


"Tão bela e tão frágil" é o título do poema que o Acadêmico Adriano Curado compôs em homenagem à Igreja Matriz de Pirenópolis.

Para ler o poema, clique aqui.

Através de uma crônica corajosa e bem escrita, o Acadêmico Luiz de Aquino nos leva a encarar a realidade da saúde pública brasileira.

Para ler o texto, clique aqui.


José Joaquim da Veiga Valle, um meiapontense que esculpiu maravilhas em cedro e é considerado um dos maiores artistas mundiais. É Patrono da Cadeira IV da APLAM.

Para ler sua biografia, clique aqui.

Começam as chuvas, ocasião em que aparecem notícias terríveis de tragédias nas cidades grandes. Aproveitando a deixa, Luiz de Aquino no leva a uma viagem no tempo, contando de outras chuvas.

Para ler o texto, clique aqui.


Joaquim Xavier Curado (Pirenópolis 02.12.1746 – Rio de Janeiro 15.09.1830) foi primeiro e único barão com grandeza e conde de São João das Duas Barras, militar e político brasileiro.

Para ler sua brilhante biografia, clique aqui.



"A Tradição e o Tempo" é o título de um ensaio escrito pelo Acadêmico Adriano Curado visando preservar o valor da cultura pirenopolina.

Para ler o texto, clique aqui.

Joaquim Alves de Oliveira foi um grande produtor rural, agraciado com os títulos de Honra de Moço Fidalgo da Casa Imperial, Comenda do Cruzeiro, Comenda de Cavaleiro da Ordem de Rosa e a patente de tenente-coronel, sendo também o criador do jornal A Matutina Meiapontense.

Para ler sua biografia, clique aqui.

Conheça a biografia do grande intelectual Jarbas Jayme, um homem que dedicou décadas de sua vida ao jornalismo e à pesquisa histórica. É considerado um dos maiores genealogista do Brasil.

Para ler a biografia, clique aqui.


Viaje com o autor pelo tempo das tropas de mulas, quando não havia estradas nem conforto. Neste texto, vó Maria, já nonagenária, nos conta como era a vida no tempo de sua infância.

Para ler o texto, clique aqui.

Conheça a biografia do idealizador da APLAM, o escritor Arnaldo Setti, um homem que muito contribuiu para a melhoria de vida da população pirenopolina.

Para ler a biografia, clique aqui.


Confira o ensaio do Acadêmico Adriano Curado sobre o tempo e seu reflexo na sociedade. Numa abordagem histórica desde o século XVIII, ele busca compreender as mudanças sociais mais profundas.

Para ler o artigo, clique aqui.


Conheça a biografia de Maria Fleury, grande escultora pirenopolina, que criou miniaturas em barro dos cavaleiros das Cavalhadas de Pirenópolis e se tornou conhecida no mundo todo.

Para ler sua biografia, clique aqui.


O grande escritor José Mendonça Teles, Membro efetivo de nossa Academia, compôs um belo e inspirado poema em homenagem a Pirenópolis.

Para ler o poema, clique aqui.

Nesta crônica, o Acadêmico Luiz de Aquino trabalho temas delicados, como a perda de entes queridos, mas também acena com a esperança do recomeço.

Para ler o texto, clique aqui.


Que dizer do tempo que passa depressa e não volta mais? Neste texto, Adriano Curado nos leva por um viagem dentro de nós mesmos.

Para ler o texto, clique aqui.


Conheça a história de vida da Presidente de Honra da APLAM, uma mulher valorosa, que foi capaz de lutar contras as adversidades para manter viva a cultura de sua terra.

Para ler a biografia, clique aqui.

Conheça a biografia do escritor Argemiro José Cardoso (Goiandira/GO 22.12.1937 – Brasília/DF 10.11.2011), que era titular da Cadeira XXVIII da APLAM. 

Para ler a biografia, clique aqui.

A convite da APLAM, a escritora Thais Valle publica aqui um poema de amor dedicado ao amor. Autora de três livros, ela nos brinda com um belo trabalho.



Para ler o poema, clique aqui.